página inicial
+351 214 704 240 / Fax. +351 214 704 249
palves@dresenson-portugal.pt
sitemap

 VIDRO

O vidro é uma substância inorgânica, amorfa e fisicamente homogénea, obtida por resfriamento de uma massa em fusão que endurece pelo aumento contínuo de viscosidade até atingir a condição de rigidez, mas sem sofrer cristalização.

Na construção são utilizados os vidros sílico-sodo-cálcicos, compostos por:

Um vitrificante, a sílica, introduzida sob a forma de areia (70 a 72%);

Um fundente, a soda, sob a forma de carbonato e sulfato (cerca de 14%);

Diversos outros óxidos, tais como o alumínio e o magnésio, melhoram as propriedades físicas do vidro, especialmente a resistência à acção dos agentes atmosféricos;

Para determinados tipos de vidro, a incorporação de diversos óxidos metálicos permitem a coloração na massa.

O vidro é obtido a partir da fusão de areia a alta temperatura que, ao arrefecer, adquire um estado amorfo caracterizado pela sua grande transparência (ou aspeto translúcido), brilho, dureza, resistência química e impermeabilidade. Conhecidas desde o tempo dos Fenícios estas qualidades desde sempre tornaram o vidro como um material único, cujo exigente processo de fabrico e processos para melhorar determinandas características foi sempre alvo de grande segredo.

Um dos grandes obstáculos no seu processo de fabrico é a elevada temperatura do ponto de fusão (entre 1500 e 2000 graus centígrados). Curiosamente, quanto mais pura for a matéria-prima - a areia (sílica)-, mais elevada é a temperatura de fusão. Juntando algumas impurezas é possível baixar o ponto de fusão. Só no início do século XIX foi possível produzir em grandes quantidades um fundente, a soda, que tornou possível a utilizacão generalizada do vidro.

Tipos de Vidro

 

Vidro Recozido– vidro comum;

Vidro Temperado– o vidro temperado termicamente ou quimicamente é um vidro (base) que foi sujeito a um tratamento térmico ou químico destinado a aumentar a sua resistência mecânica e a alterar a sua fragmentação em caso de rotura, face ao vidro recozido (vidro base), sendo conhecido que a fragmentação de um vidro temperado quimicamente é semelhante ao vidro recozido comum;

Vidro Termo-Endurecido – o vidro termo-endurecido é um tipo de vidro intermédio entre o vidro temperado e o vidro recozido. É produzido da mesma forma que o vidro temperado, mas é arrefecido de uma forma mais lenta, dando origem a um campo de tensões residuais de menor valor e, por conseguinte, a uma tensão resistente menor que a obtida para o vidro temperado. Após a rotura, o vidro termo-endurecido fragmenta-se em pedaços maiores que o vidro temperado, mas mais pequenos que os do vidro recozido. Isto significa que o vidro termo-endurecido pode ser uma boa solução para alcançar maiores resistências, mas também para obter uma razoável resposta no comportamento pós-rotura. 

Vidro Laminado – o vidro de segurança laminado consiste em duas ou mais lâminas de vidro fortemente interligadas, sob calor e pressão, por uma ou mais camadas de polivinil butiral-PVB, ou ainda por resinas muito resistentes e flexíveis, ou outras resinas plásticas aprovadas ou ainda os intercalares de alta resistência mecânica da DUPONT da SentryGlass;

Vidro Impresso – este tipo de vidro surgiu quando se desenvolveu o processo pelo qual o vidro emerge do forno e passa através de dois rolos, um dos quais possui um desenho gravado na superfície. Esse desenho transmite-se ao vidro e dá-se o recozimento, o arrefecimento e, de seguida, e finalmente o corte. Este tipo de vidros estão atualmente no espaço europeu, são alvo de uma profunda renovação por força da diretiva europeia 235/93 de 9 de Março. Em resumo, os padrões impressos têm que se adaptar às novas regras de segurança de modo a possibilitar a têmpera térmica, e assim como a laminagem.